Resenha: Orgulho e Preconceito - Jane Austen



Autor: Jane Austen
Número de Páginas: depende da edição

Avaliação: ★★★★★ e 
Ótimo - se pudesse o lia de novo, tipo, agora; E Favorito.


Sinopse

"Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu."




Em primeiro lugar acho que esse tipo de livro deveria ser obrigatório nas escolas. Não posso imaginar o por que de alguém ter o luxo de lê-lo, mas ignorá-lo. Jane Austen escreve maravilhosamente bem, não deixa passar detalhes e nunca faz de seus diálogos algo cansativo, pelo contrário, ela tem um sarcasmo impressionante para a época. Não posso tirar conclusões precipitadas, pois sendo esse meu primeiro livro de época, não posso ainda intitulá-lo o melhor do gênero, mas tenho certas dúvidas que algo possa ser tão maravilhoso e inocente ao mesmo tempo.

Infelizmente, hoje em dia as escritoras descrevem "o amor verdadeiro" com agarrações e partes que deveriam fazer o livro ter restrição de idade. É claro que todos gostamos disso, já que somos seres humanos, mas se formos pensar fundo o amor deles é tão... carnal. Sim, tem algo além dos "beijos&engulições", mas essa é a única parte em que os escritores pensam em nos mostrar. Já com a Jane não é assim, obviamente porque seria um escândalo para a época, mas ela nos passa tudo o que os livro de hoje em dia passam -até mais- e sem precisar necessariamente de um beijo. Admito que é decepcionante, depois de tudo que se passa com a Elizabeth e com meu querido Mr. Darcy, no mínimo eles mereciam um epílogo.

A leitura não é simples, mas foram poucas as palavras que eu não conhecia. O livro exige um pouco mais de atenção, mas válida, com certeza. Eu, sendo uma fã do filme à vários anos, não me arrependi por tê-lo lido, mesmo que até algumas frases sejam repetidas. Em partes o filme é melhor, principalmente quando se trata de lugares, se ele seguisse o livro em certas coisas o filme não seria tudo que é. Mas é claro que um livro é sempre melhor, te passa os pensamentos e sentimentos dos personagens (principalmente porque é narrado pela escritora), coisas que eu ficava adivinhando no filme, te passa a emoção das cenas e admito que me segurei para não chorar em certas partes, é incrível o que pequenas palavras românticas podem fazer quando não se há abundância dessas.

Virou um dos meus favoritos pela inocência de seus palavras e pela personalidade dos personagem. Maravilhei-me com suas guerras interiores para combater o que sempre negamos ter, mas poucas das vezes são verdades. O orgulho e preconceito. Agora sim posso dizer que sou uma verdadeira fã de Jane Austen, pois quando um livro é bom nada pode mudar isso.


Beijos, Giovana

Um comentário:

  1. Amo esse livro! Amo o seriado! Amo o filme! Simplesmente amo "Orgulho e preconceito".

    ResponderExcluir