Oblivion - Joseph Kosinski (2013)


Olá  leitores, 

como muitos de vocês perceberam (ou melhor, a gente espera que tenham percebido) ficamos uns 2 meses sem dar as caras aqui no blog, mas como esse blog é algo que eu e minha irmã queremos levar para frente, aqui estamos nós ( pelo menos, eu Giovana)  voltando com resenhas de filmes e livros, entre outros para vocês. 


Bom, continuando no clima de recomeço, trago comigo a resenha de uma estréia: Oblivion.

Já faz uma semana que o assisti, mas ele ainda continua fresquinho na memória. Para começar, eu assiti no IMax (para quem não sabe o que é clique aqui ) o que talvez prejudicou um pouquinho minha capacidade crítica, quem já assistiu algum filme num cinema desse, sabe do que estou falando. 

Sinopse:
2077. Jack Harper (Tom Cruise) é o responsável pela manutenção de equipamentos de segurança em um planeta Terra irreconhecível, visto que a superfície foi destruída devido a confrontos com uma raça alienígena. O que restou da humanidade vive hoje em uma colônia lunar. Jack irá para este local daqui a duas semanas, já que está perto de terminar seu trabalho na Terra. Só que, um dia, ele encontra uma espaçonave que traz uma mulher dentro. Ao conhecê-la, tudo o que Jack sabe até então é posto em dúvida. É o início de uma jornada onde ele precisará descobrir o que realmente aconteceu no passado.


Nos Cinemas -
 12 de Abril de 2013 (Mundial)
126 min


Direção
 Joseph Kosinski

Avaliação
3,5/ 5






O trailer não é algo que podemos chamar de explicativo, mas ele me deixou com vontade de assisti-lo. Há vários anos, a Terra foi invadida por alienígenas, os seres humanos venceram a guerra, mas perderam a Terra, o que basicamente acabou com toda a esperança de vida na superfície terrestre. Então Jack vive numa casa meio espacial, mas que ainda fica na atmosfera terrestre. Seu serviço é consertar máquinas inteligentes que supostamente protegem a todos dos aliens. Quando ele salva uma humana (de quem, de alguma forma ele se lembra, sendo que nunca a encontrou na vida) de ser morta por uma dessas máquinas, ele começa a duvidar de tudo o que um dia acreditou estar certo. 

Ok,  acho que finalmente o Tom Cruise passou para a fase do Johnny Depp. Que fase? A fase aonde o papel dele é ser ele mesmo. Eu particularmente gosto do tipo de filme que o Tom faz, mas nos últimos filmes dele, ele não tem mostrado seu talento para atuação, e sim para ser ele mesmo: Doce, um pouco metido, extremamente  confiante de si próprio, entre outras qualidades óbvias de um atro de cinema. É claro que isso não muda a qualidade do filme ou do talento do ator, só faz ele cair no meu conceito pessoal.

É um filme bom, eu gostei, mas não esperava que ele fosse tão "nóia", me desculpe se você considerou isso um spoiler, mas acho que o trailer já deixa bem óbvio a sanidade do momento do roteirista quando ele teve a ideia desse filme, né? Todos nós, pelo menos um vez na vida, já vimos um daqueles filmes que nos deixam com um nó na cabeça; Bem, Oblivion é um desses. O final é auto-explicativo, mas não o suficiente na minha opinião, nem na opinião da  amiga que assistiu comigo.
Uma das coisas que eu mais gostei foi o cenário do filme, eu sou apaixonada por cenários cinematográficos, principalmente quando eles são feitos no computador, existe coisa mais mágica que isso? Aqueles lugares que você vê nos filmes de ficção/fantasia e pensa "Caramba, eu queria estar aí",  os do filme são ótimos, com direito a cachoeiras, desertos, entre outros. 

Na minha opinião o filme é bom, mas podia ter uma história melhor, com uma explicação melhor para tudo que se acontece, mesmo assim eu dou 3,5 de 5 nuvenzinhas.

Um comentário:

  1. Sabe, eu adorei o filme. Achei sim a história meio fraca, mas gostei de toda a discussão filosófica que envolve. A discussão do "o que faz com que nós sejamos nos mesmos"... A discussão de quanto acreditamos em tudo aquilo que "superiores" nos impõe... Tudo isso é muito legal... :D Eu adorei o filme... :D

    ResponderExcluir